Massagem em bebês, por que fazer?

Hoje vamos falar sobre a importância da massagem nos bebês, sobre seus benefícios e vamos convidá-la/o a participar do nosso curso de massagem para bebês.

mother-baby-image

As sensações corporais e o tato são a primeira forma de contato do ser humano com o mundo. Sentir por meio da pele nos remete a um tempo muito distante, desde a época intrauterina. Por isso, o toque amoroso, a massagem, nos traz tanto aconchego, conforto e segurança. O corpo de nossa mãe com sua temperatura e movimento são o nosso casulo por nove meses e nele nos sentimos seguros. Quando nascemos tudo se torna diferente, entramos em contato com um ambiente vasto, sem fronteiras para um bebê que até bem pouco tempo estava num espaço bastante limitado com uma temperatura estável, sentindo até onde ia seu corpo e começava o de sua mãe.

Por meio da pele sentimos, respiramos e tomamos conhecimento de nossos limites. A pele é uma extensão de nosso sistema nervoso e por isso, através dela as emoções brotam. Não é a toa que, quando estamos muito sensíveis, estamos “a flor da pele”. E muitas vezes, uma forma de acalmar um bebê que chora sem parar é aconchegá-lo no colo, embalar, criar um espaço que o remeta ao tempo em que se sentia seguro dentro da barriga de sua mãe.

Sociedades milenares sabem disso há muito tempo e criaram em suas culturas formas muito especiais de acalentar seus bebês para dar conta de seus choros, suas cólicas e qualquer dor, tristeza ou sentimento de insegurança. Nessas culturas, geralmente há formas de criar um casulo para o bebê com panos que o envolvam e o lembrem do útero; massagens que o tragam a sensação de continente, de cuidado e que comuniquem a ele o quanto é amado e que ele pode confiar nessa nova experiência de vida. Tudo isso torna sua adaptação a esse novo mundo mais fácil e suave, além de desfazer qualquer trauma que tenha sido vivido no parto, segundo Eva Reich em seu livro Energia Vital pela Bioenergética Suave.

Neste livro, Eva Reich fala da importância de uma massagem suave, desenvolvida por ela e aplicada em bebês prematuros dentro de incubadoras. Sua massagem em razão de sua suavidade e capacidade de transformação da energia vital que passa a circular de uma forma muito mais fluida ganhou o nome de Massagem Borboleta. Ela desenvolveu essa técnica nos anos 1960, ao perceber que ao tocar os bebês prematuros isolados em incubadoras, esses tinham visíveis melhoras.

A massagem pode ser um meio simples e profundo de comunicação com seu bebê, pode ser uma forma de dizer que esse novo ser é bem-vindo e muito amado. A psicóloga Tiffany Field, depois que se tornou mãe de bebê prematuro e testemunhou os efeitos calmantes da massagem, começou a estudar, em 1982, a relação das massagens com a prematuridade e dez anos depois estabeleceu o primeiro grupo de estudos sobre o tema na Universidade de Miami, o Touch Research Institute. Um desses estudos mostrou que bebês prematuros massageados por quinze minutos três vezes por semana ganhavam 47% de peso mais rápido que outros bebês não massageados e deixados nas incubadoras.

A massagem é uma forma amorosa de tocar, ajuda no desenvolvimento emocional, sensorial e intelectual da criança, pois é um bebê estimulado que recebe atenção, cuidado e segurança por meio do toque. É uma forma de olhar, de criar intimidade. – Pais relatam que depois que passaram a fazer massagem em seus filhos aprenderam a compreender muito melhor seus choros, seus desejos, vinculam-se melhor com seus filhos. O processo da massagem contém todos os elementos que auxiliam no fortalecimento e criação de vínculo entre mãe, pai e bebê.

dadandbabyBlog

Assim, a massagem e o toque são uma forma de alimentar nossos bebês, são uma forma de amor e de reconhecer aquele ser humano, de dar nascimento a ele. Como coloca Frédérick Leboyer no livro Shantala, “é preciso falar com suas costas, preciso falar com sua pele que têm tanta sede e fome quanto seu ventre. Sim! Os bebês tem necessidade de leite. Mas muito mais de serem amados e receber carinho”.

Por isso, no dia 17 de outubro, sábado, às 14h, em São Leopoldo, o Grupo Parto Alegre irá oferecer um workshop sobre Shantala e Massagem Borboleta. Nesse curso vamos ensinar as duas técnicas, contar um pouco de sua história e seus benefícios, além de indicar a idade aconselhada de cada uma das técnicas. Vamos também falar sobre os óleos a serem utilizados, melhor momento para a massagem, o banho e a massagem e formas de acalentar nosso bebê com o uso de wrap sling (pano para carregar bebê).

Mais informações sobre o curso clique aqui ou envie e-mail para partoalegre@gmail.com.

Aguardamos vocês!

Grupo Parto Alegre

logo-parto-alegre2.jpg

Anúncios

2 comentários

  1. rosaneteperes@ibest.com.br disse:

    Boa tarde, qual o valor do curso para mais de duas pessoas?

    Curtir

    1. partoalegre disse:

      Olá,

      tudo bem? Para maiores informações, você pode enviar e-mail para: partoalegre@gmail.com

      Afetuoso abraço.
      Equipe Parto Alegre

      Curtir

Os comentários estão encerrados.