O plano de parto

O tema do terceiro encontro  do Parto Alegre foi o protagonismo no parto.

Uma das ferramentas para o sucesso no exercício do protagonismo é o plano de parto.

Abaixo uma boa e simples explicação sobre do que se trata este plano e também um modelo que pode ser seguido.

Plano de parto: compartilhando seus desejos

Mara Freire

O seu plano de parto deve refletir os seus desejos para uma boa experiência de parto. Criar o seu plano de parto é uma oportunidade para refletir e discutir assuntos relacionados com o nascimento, envolvendo o seu companheiro, médico, parteira, enfermeira, doula ou outras pessoas envolvidas no seu parto.

Crie um documento simples, claro e pouco extenso (uma página deverá ser suficiente). Uma cópia deste Plano de Parto deve ser entregue a todas as pessoas que intervêm no nascimento do seu filho. Sugerimos que entregue também uma cópia, à Administração do hospital/maternidade onde nascerá o seu filho, bem como juntar uma cópia aos seus histórico médico gestacional (carteirinha degrávida apresentada à cada consulta, exames, ultra, etc),que será entregue á equipe hospitalar na hora de sua admissão para o parto. Ou se for ter um parto domiciliar ou em uma Casa de Parto, entregue á equipe responsável.

Lembre-se de que o parto não é um acontecimento totalmente previsível, pelo que será necessário adaptar o seu Plano de Parto, bem como sugestões de cartas e outras leituras que poderá fazer sobre esta questão, e destas, escolha apenas as que são realmente fundamentais para si!

Plano de Parto
Imagine-se na seguinte situação: você, em trabalho de parto, chegando à maternidade. Enquanto seu marido fica na recepção preenchendo papéis você é levada para dentro, para ser preparada. Um pouco mais tarde te informam que ele não vai poder entrar porque a maternidade não permite. Informam também que ele está “aprontando uma confusão” lá na portaria e já chamaram a polícia.

Outra situação: imagine-se em trabalho de parto, chegando de madrugada na maternidade. A recepcionista fica espantadíssima de você estar em trabalho de parto, pois as mulheres que têm o seu convênio geralmente vêm com cesárea marcada. A sala de pré-parto da maternidade é só para gestantes do SUS e você deveria ter uma carta do médico junto com uma autorização do convênio para poder ser internada diretamente no quarto. Enquanto ela tenta resolver o impasse você vai ter que esperar na recepção.

ACHOU ABSURDO? POIS SAIBA QUE ACONTECE!

Para evitar imprevistos como este é melhor você fazer um Plano de Parto e conversar com seu médico sobre cada passo do trabalho de parto. Se você não tem convênio médico vá até a maternidade e se informe sobre todos os passos pelos quais passam as parturientes, desde a internação até a alta.

Fazer um Plano de Parto tem três funções muito importantes:

1. Evitar imprevistos de difícil solução.
2. Levar você a conhecer e pensar sobre cada momento do seu parto, podendo fazer escolhas que se referem ao seu corpo e ao seu bebê.
3. Deixar suas preferências bem claras para a equipe que vai te acompanhar.

O Plano de Parto é tão importante que é a primeira de uma série recomendações da OMS para melhorar, no mundo todo, o nível do atendimento dado a parturientes e recém-nascidos.

 O QUE PODE CONSTAR DO PLANO DE PARTO?

Tudo, desde as primeiras contrações até os primeiros dias pós-parto. O plano de parto é uma lista sobre os acontecimentos possíveis em um parto e sobre os quais você pensou. Pode ser feito em forma de carta ao médico e a instituição como já é feito em alguns países, ou simplesmente ser uma reflexão sobre o que você aprendeu e deseja sobre seu parto. Não é uma lista de”mandamentos” para os profissionais muito menos um “alvará” para sua desobediência frente à equipe. É uma organização de idéias para facilitar o diálogo com o profissional que te acompanhará.

Em que maternidade ou Casa de Parto você quer ter o bebê? Você gostaria de ficar lá com um acompanhante? Gostaria de ter uma doula? Irá receber lavagem intestinal, raspagem dos pelos, soro com hormônio para acelerar as contrações, anestesia, ficar sem beber líquidos? O que a medicina baseada em evidência e a OMS (Organização Mundial de Saúde) tem a dizer sobre estes procedimentos que vemos serem utilizados como rotina? Gostaria de amamentar logo após o parto e garantir alojamento conjunto logo a seguir ou concorda em esperar por 6 horas ou mais até poder se reencontrar com o bebê? Em caso de cesárea, gostaria de ser “apagada” após a saída do bebê? Ou gostaria de segurá-lo com a ajuda do seu acompanhante após o parto? Quais procedimentos você aceita e quais preferia evitar?

Pequenos detalhes e enormes diferenças que podem garantir um parto único, feliz e ativo, trazendo maior segurança para mãe, pai e filho. Para a equipe, pode ser um norte para melhor poder atendê-la e até mesmo repensar as práticas que vem sendo feitas rotineiramente.

COMO FAZER MEU PLANO DE PARTO

Além de saber dos procedimentos de praxe do seu obstetra ou parteira e da maternidade, busque informações em livros e sites de confiança. Listas de discussão na internet e cursos de preparação para o parto podem ajudar bastante. Se puder, converse com ex-gestantes que tiveram parto no mesmo local, ou com o mesmo profissional. Aos poucos o que você quer e não quer no seu parto vai ficando mais claro e você pode ir conversando e negociando com seu médico o que é possível e o que não é.

QUANDO DEVEMOS LEVÁ-LO PARA O MÉDICO?

Desde a primeira consulta você pode começar a fazer perguntas sobre como o médico costuma agir durante o parto de suas pacientes. Para levar tudo por escrito é melhor que seja a parir do sexto mês, e para deixar uma cópia para o médico é melhor estar bem próximo da data prevista. Isto porque suas preferências podem sofrer mudanças.

QUAL SERÁ A REAÇÃO DO MÉDICO?

Deve ser a melhor, pois a relação médico/paciente deve ser aberta e honesta. Os bons médicos já estão acostumados a ter com seus pacientes esse tipo de conversa. Se você não se sente à vontade nem para conversar com ele ou se ele reagir mal é melhor desistir logo e procurar outro!

MODELO
(nome)
(idade)
(cidade)
(telefone fixo)
(telefone celular)
Local, data

Ex.mo Sr Dr. Diretor Clínico

Dirijo-me a vós, dada a aproximação de um grande e feliz acontecimento para minha família: a chegada de nosso filho.

Conhecendo o bom desempenho dos profissionais dessa instituição, de sua capacidade e do esforço e empenho para um serviço de excelência e principalmente cada vez mais humanizado, venho com total consciência dos meus atos, solicitar-vos as seguintes condições para o meu parto:

…….

Estou certa de que um parto nestas condições será para mim um parto bem humanizado, que promoverá o meu bem estar físico e emocional, sem abalar a segurança que deve envolver o nascimento do meu filho e principalmente que estaremos a dar uma grande oportunidade para esse bebe nascer mais feliz!

Atenciosamente
(assinatura)

Post original aqui (Amigas do Parto)

Anúncios

2 comentários

  1. Débora Rocha disse:

    Que nível de consciência estamos desenvolvendo! O Poder de interferir num processo que muitas ou a maioria das vezes não tomamos decisões.Não sabemos de fato o que acontecerá.
    Estamos realmente num mundo de Transição , onde tudo está melhorando, se transformando para melhor. Gratidão.
    Débora Rocha Terapeuta holística.

    Curtir

    1. partoalegre disse:

      Débora Rocha, agradecemos por sua participação! Acreditamos que muito ainda precisa ser transformado para que as mulheres reconquistem seu protagonismo no parto e que seus bebês sejam recebidos com respeito e amor no nascimento, independente do local que desejem parir… Mas as perspectivas são positivas, como você aponta! Apostamos no poder transformador de mulheres bem informadas e empoderadas, que lutam por seus direitos!
      Abraço!
      Débora B. Bauermann
      Parto Alegre

      Curtir

Os comentários estão encerrados.